Coronavírus: 7 tendências para o mundo pós-pandemia

Luis Rasquilha, CEO da Inova Consulting, projeta como será o novo normal

Destaques

Coronavírus: 7 tendências para o mundo pós-pandemia

A pandemia do novo coronavírus trouxe uma série de mudanças para empresas e escolas. Se antes esses ambientes já se preparavam para transformações drásticas por causa da tecnologia, a covid-19 acelerou esse processo. Para ficar no mais óbvio, as companhias aderiram ao home office e as escolas passaram a transmitir aulas ao vivo e online. Mas quais mudanças vieram para ficar e sobreviverão ao mundo pós-pandemia?

Para Luis Rasquilha, CEO da Inova Consulting, é preciso se preparar para um novo normal. “Vivemos um momento delicado, mas ele vai passar e novas tendências vão surgir”, disse o executivo durante o EuFest, festival online e gratuito realizado pelo Eureca, com parceria de mídia de Época NEGÓCIOS. Confira o que podemos esperar quando o surto acabar:

1. Mídia Digital

O uso de veículos online será ainda mais acelerado daqui para frente. “As pessoas querem saber o que está acontecendo. As redes sociais, os sites de jornais, revistas, rádio e televisão vão informar. A informação está acima de tudo. Depois, temos de transformá-la em conhecimento”, diz Rasquilha.

2. Conectividade & Infotech

“A tecnologia está ao serviço da educação e dos negócios. Quando o novo normal chegar, vamos perceber que não precisávamos fazer algumas coisas que fazíamos”, afirma Rasquilha. Ele cita, por exemplo, reuniões presenciais que poderão ser feitas online ou resolvidas por e-mail.

3. Trabalho e Educação Online

Se antes o home office e as aulas virtuais eram questionados por alguns, isso ficará para trás. “A transformação digital foi imposta. A covid-19 nos obrigou a nos transformar remotamente. Quando a pandemia passar, as empresas irão avaliar se será necessário o colaborador ir para o escritório todos os dias. O grande aprendizado pós-pandemia é quem não fez vai ter de fazer e quem já fez vai ter de incrementar novas tecnologias”, afirma Rasquilha.

4. Encapsulamento 2.0

“Muitos de nós vamos querer ficar em casa depois que a pandemia passar, por uma questão de conforto. Quando a gente se estrutura para trabalhar de casa, temos melhor desempenho e conseguimos entregar mais resultado. E dar atenção à família”, diz Rasquilha. No futuro, ele argumenta que poderemos escolher entre assistir à aula presencial ou online, ou ir até o escritório. “As pessoas vão economizar tempo de deslocamento. Vão ter qualidade de vida”.

5. Humanismo e Solidariedade

A pandemia trouxe mais humanização. Segundo Rasquilha, as pessoas passaram a ajudar uns aos outros. E a família passou a ser o ponto mais importante na vida do cidadão. Depois, os amigos e conhecidos. “Nós passamos a ir ao supermercado para os vizinhos”, afirma Rasquilha.

6. Novos serviços

Muitas empresas de bairro passaram a oferecer facilidades para os clientes, como o serviço de entrega. “As farmácias que não entenderem a necessidade do delivery terão problemas ― mesmo que seja um grande grupo de varejo”, diz Rasquilha.

7. Novos modelos de negócios

Muitos negócios vão perder a importância, enquanto outros irão se destacar. “As empresas tradicionais não estão garantidas. Elas precisam se reinventar”, afirma. Segundo o executivo, os setores que podem ficar em desvantagem pós-pandemia são: automotivo, combustível, construção, negócios imobiliários, petróleo, turismo e viagem. Já os que podem levar vantagem são: agricultura, bem-estar, e-commerce, educação à distância, energia, entretenimento digital, logística, saúde e medicina.

 

Fonte: https://epocanegocios.globo.com/Empresa/noticia/2020/04/coronavirus-7-tendencias-para-o-mundo-pos-pandemia.html